Facelift

Ritidectomia

INTRODUÇÃO

O rosto deve ser considerado como um órgão que desempenha um número considerável de funções: respirar, alimentar-se e viver em relações através da expressividade da mímica e da fala, é o nosso cartão de visita. Num mundo competitivo em que certas oportunidades são mais frequentemente apresentadas a pessoas com uma aparência mais jovem, e por outro lado, os progressos feitos pela Cirurgia Maxilofacial, tornando os procedimentos cirúrgicos de rejuvenescimento facial cada vez mais viáveis, fazem com que este procedimento cirúrgico seja frequentemente solicitado ao Cirurgião Maxilofacial pelos pacientes.

O Facelift

Tecnicamente, a ritidectomia visa rejuvenescer o rosto e o pescoço, reposicionando os vários componentes e subunidades dos tecidos moles do rosto, removendo o excesso de pele que formou as “rugas cutâneas” e as acumulações localizadas de tecido adiposo; envolve também o “alongamento do plano muscular facial”.

Em alguns indivíduos, a cirurgia das estruturas esqueléticas (ósseas) do rosto é também necessária para melhorar a “moldura” sobre a qual os tecidos moles são esticados, de modo a obter um bom resultado estético-funcional do rosto. Por vezes, para conseguir um efeito melhorado também na qualidade da pele, o Facelift é complementado por procedimentos auxiliares como o Peeling Químico, etc.

A evolução pós-operatória

Actualmente, o pós-operatório caracteriza-se por um regresso rápido à vida activa e indolor, conferindo aos pacientes submetidos a esta cirurgia um aspecto muito mais jovem e fresco do que a sua idade cronológica e biológica, ao mesmo tempo que lhes dá uma expressividade natural.

Normalmente, todos os procedimentos de lifting facial são completados com Peeling Químico, de modo a obter um resultado estético óptimo.

NOTA: Nos fumadores, o tempo de recuperação é normalmente prolongado e o risco de complicações é maior.

     

    Marcar uma consulta com o Dr. Ozeri A. Eitan

    💬 Need help?